fbpx

Arquitetura ESG

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email

Na agenda da 10ª DW!, evento online vai debater o uso de madeira legal e a sustentabilidade nos projetos de arquitetura, construção e design

 

O Brasil é um dos maiores produtores e consumidores de madeiras nativas em todo o mundo. Por aqui, 90% de toda a produção abastece o mercado interno, em especial, os setores da construção, movelaria e marcenarias – o que torna essas áreas da economia grandes motores para impulsionar o combate à ilegalidade e ao desmatamento e, ao mesmo tempo, gerar oportunidades de novos negócios sustentáveis.

 

Profissionais que atuam nesse setor, como arquitetos e designers de produtos, são fundamentais na promoção de uma cadeia mais sustentável, capaz de se fortalecer sob parâmetros legais e reforçando a importância das florestas no cenário de mudanças climáticas.

 

Tora de madeira legal
Grande parte da madeira nativa é consumida em obras residenciais e 40% disso ainda é extraída ilegalmente| Foto: Joel Jasmin

 

A maior parcela da madeira nativa é consumida em obras residenciais, sendo que boa parte da madeira extraída das florestas ainda tem uma aplicação com baixa agregação de valor. Outro desafio é combater a origem ilegal da madeira. Segundo levantamentos recentes feitos pelo Imazon, no Pará, e pelo Instituto Centro de Vida (ICV), no Mato Grosso (os maiores estados produtores de madeira nativa no Brasil), cerca de 40% da madeira é extraída ilegalmente, um volume ainda muito desafiador.

 

Pensando no protagonismo dos profissionais da construção, arquitetura e design e em como suas escolhas, decisões e recomendações sobre a origem, as matérias primas e a sustentabilidade em seus projetos ajudam no cuidado com o meio ambiente e na proteção as florestas, o Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora) realiza o encontro “Arquitetura do Amanhã 2: Construindo Negócios Sustentáveis”, dia 7 de outubro, das 16h às 18h, no canal do YouTube da entidade, com participação de diversos convidados especiais e apoiadores.

 

Amazonia
Preocupação com a sustentabilidade nos projetos de arquitetura, construção e design pode ajudar na preservação das florestas | Foto: Nathalia Segato

 

“Acreditamos que o segmento de arquitetura e design pode fazer a diferença à medida que considere o uso da madeira, sua origem e a conexão do produto com a Amazônia. Sabemos que somente através do uso dos produtos florestais poderemos agregar valor à floresta e mantê-la em pé”, ressalta Leonardo Sobral, gerente florestal do Imaflora.

 

De acordo com Sobral, houve um aumento na procura por madeira legal e até certificada por parte de pequenas e médias empresas da indústria marceneira e moveleira. “Há um crescimento na demanda por móveis e objetos de decoração com pegada de responsabilidade referente à origem da madeira, e isso é algo que agrega valor não apenas à floresta como também às empresas que consideram a sustentabilidade em seus negócios”, complementa.

 

Madeira certificada ajuda preservar florestas
O uso de madeira legal e certificada agrega valor não apenas à floresta, mas também às empresas que consideram a sustentabilidade em seus negócios | Foto: Sebastien Goldberg

 

Sobre o evento

Com inscrição gratuita, o encontro online contará com dois painéis de diálogos, cada um com dois convidados e um mediador, que conversarão sobre temas ligados às oportunidades de negócios para players de empreendimentos sustentáveis e à pauta de Governança Ambiental, Social e Corporativa (ESG), o índice que avalia as operações das empresas de acordo com seus impactos nestes três eixos da sustentabilidade e que tem ganhado cada vez mais importância no mercado global de madeira.

 

Entre os convidados já confirmados estão:

– Nicolaos Theodorakis, CEO e sócio fundador da Noah Wood Building Design, além de empreendedor do mercado imobiliário há 10 anos;

– Cristiano do Valle, engenheiro agrônomo, fundador da Tora Brasil, empresa especializada na produção de móveis de madeira da Amazônia, certificada pelo FSC;

– Kátia Punhagui, arquiteta urbanista, doutora em Arquitetura, Energia e Meio Ambiente (Universidade Politécnica da Catalunha) e em Engenharia da Construção Civil (Poli-USP), é professora do Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal da Integração Latino-americana (UNILA, Foz do Iguaçu);

– Tatiana Tibiriçá, arquiteta urbanista, sócia-proprietária do escritório Ipê-Amarelo Arquitetura, responsável pelo projeto da sede do Imaflora, com madeiras certificadas.

 

Agenda:

Arquitetura do Amanhã 2: Construindo Negócios Sustentáveis

Data: 07.10.2021

Horário: das 16h às 18h

Local: https://www.youtube.com/user/Imaflora
Formulário de inscrição gratuita: www.imaflora.org

 

Programação prévia:

16h00 – Abertura e boas vindas
Leonardo Sobral (Gerente florestal do Imaflora)
Monica Duarte Aprilanti (Núcleo da madeira)

16h15 – Arquitetura ESG no mercado global

  • Nicolaos Theodorakis (Noah)
    • Marcelo Rosenbaum

17h – Alternativas rumo à sustentabilidade possível
Moderador: Cristiano do Valle (Tora Brasil)

  • Tatiana Tibiriçá (Ipê Amarelo)
    • Kátia Punhagui (UNILA)
    • Perguntas Moderador

17h45 – Encerramento com tour pelas tecnologias sustentáveis da sede do Imaflora

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email

LEIA TAMBÉM

Perspectivas

Estreante na CASACOR SP, a arquiteta e urbanista Gabriela Mendes assina o…

Design Weekend

DW! chega à 10ª edição com uma programação de mais de 200…

Alameda das Artes

O paisagista Luciano Zanardo apresenta o seu ambiente, Alameda das Artes, na…