fbpx

Casa Embaúba

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email

Ambiente da Cosentino na CASACOR leva assinatura do arquiteto Lucas Takaoka e propõe a ressignificação do morar, com um design minimalista e a presença da natureza

Denomiado Casa Cosentino Embaúba, o projeto, que leva a assinatura do arquiteto e designer Lucas Takaoka, é inspirado na embaúba, árvore nativa brasileira que, na natureza, é responsável pela regeneração de áreas desmatadas ou que estão em recuperação. Com 220m², o ambiente faz um convite à reflexão sobre a ressignificação das nossas próprias vidas e como reconstruir os pontos defasados e frágeis que foram afetados nos últimos dois anos, principalmente para preservar, da melhor maneira possível, o nosso futuro.

 

casa embauba cosentino

 

“A Casa Cosentino Embaúba é um projeto que representa nossa maior busca nos últimos dois anos. O ser humano acabou por priorizar ao máximo seu tempo a uma qualidade de vida unida ao ritmo de trabalho. Dessa forma o home-office em muitas ocasiões acabou se deparando com paisagens de campo, litoral, mata, onde cada indivíduo se adaptou a praticamente um período de forma introspectiva, não egoísta, mas de cuidar de si. O êxodo urbano em busca da mata, do cheiro de chuva, de intervalos no cotidiano, em locais desatrelados aos paredões cinzas urbanos. Esse foi um panorama de ensinamentos e amadurecimentos”, explica Lucas.

 

lucas takaoca na casacor

 

“Hoje estamos praticamente de volta ao ritmo “normal”. Mas nós hoje paramos e, mesmo que em pequenas doses, aprendemos a valorizar nosso bem mais precioso, o tempo. Os detalhes de nossas vidas foram sendo minuciosamente alterados conforme nosso corpo analisava nossas carências. Carência de pausa, de intervalo, de mais respiros ao ar-livre e limpo. Essa casa representa um pouco da ressignificação das nossas próprias vidas, estabelecendo nossas prioridades, nossa salubridade, nossa busca por ambientes rodeados e abraçados por vegetação. Uma diária manutenção da alma”, completa o arquiteto. “E assim como a embaúba, que equilibra a mata e torna uma área degradada em vida, nós também estamos vivenciando um momento de reconstrução”, conclui Lucas.

 

dekton da cosentino

 

Para revestir o piso de todo o espaço da Casa Embaúba Cosentino na CASACOR, Lucas optou por usar a superfície ultracompacta Dekton® na cor Danae que, tal como a areia que se movimenta no deserto, as diferentes tonalidades do bege são refletidas ao longo da peça para captar a essência do movimento. A mesma tonalidade também reveste a lareira e as paredes do banheiro da suíte. Ainda na suíte, o arquiteto usou o Silestone® no tom Faro White, que faz parte da Sunlit Days, a primeira coleção de Silestone neutra em carbono. Faro White representa o branco do Mediterrâneo e suas paredes banhadas pelo sol, simbolizando pureza, simplicidade e serenidade. Inspirada nos faróis que apontam o caminho dos navios, essa cor também se caracteriza por uma textura sedosa e macia. O padrão também foi aplicado na bancada e na ilha da cozinha.

 

ambiente de lucas takaoca para cosentino

 

Os revestimentos escolhidos para o espaço possuem propriedades que os tornam únicos. A alta resistência a raios solares, riscos, manchas, abrasão e variação de temperatura fazem com que as superfícies Dekton® sejam ideais para aplicações internas ou externas, resultando em um material versátil e reconhecido por sua excelência. Já Silestone®, que se reinventou por completo em 2021, a partir de um novo processo produtivo, marcado pelo compromisso ambiental da empresa e pela aposta na economia circular e na gestão sustentável, ganhou a tecnologia HybriQ+, que utiliza 99% de água reutilizada dos processos produtivos, 100% de energia renovável e no mínimo 20% de matéria-prima reciclada em sua composição.

 

Do mobiliário à iluminação, um projeto autoral em todos os sentidos

 

cosentino na casacor

 

Para ressaltar todos os aspectos que remetem ao conceito do ambiente, Lucas convidou a paisagista Bia Abreu para trazer a natureza para dentro do espaço. O desafio da paisagista era de explorar as possibilidades de espécies que pudessem resistir a um ambiente com pouca iluminação natural. Dessa forma, Bia trouxe a própria embaúba, que dá nome ao ambiente, além de investir em maciços de plantas típicas da Mata Atlântica, que reafirmam o caráter regenerador da árvore.

 

mobiliario de Lucas Takaoka

 

Já no mobiliário, os visitantes poderão conferir os projetos desenvolvidos pelo designer, como a mesa “Abaporú”, uma referência à pintora modernista Tarsila do Amaral e ao idealismo do Movimento Antropofágico estabelecido em 1026 por Oswald de Andrade. A mesa é rodeada pela delicadeza das cadeiras “Teresa”, peça que faz numa homenagem à mãe de Lucas. Outros lançamentos assinados pelo arquiteto são as poltronas “Belo Horizonte” que, ao lado da robustez do sofá “Joaquim”, também faz uma homenagem ao pai dele.

 

ornare no ambiente de lucas takaoka

 

Completa o mobiliário, peças produzidas pela Ornare, que poderão ser vistas na cozinha e no quarto da Casa Cosentino Embaúba.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email

LEIA TAMBÉM

Minimalista e atemporal

A arquiteta Sabina Kalaoun, do Studio LAK, se muda com o marido…

Reforma completa

Apartamento ganhou ares de casa a pós a reforma que integrou ambientes…

A arte de Basiches

Arquiteto e artista plástico José Ricardo Basiches abre exposição Traços e Contextos…