fbpx

Décor shabby chic

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email

Essa charmosa casa de vila apresenta decoração no estilo shabby chic, com atmosfera romântica, delicada e feminina

 

casa de vila colorida

 

A fotógrafa Regina Coeli morava sozinha em uma casa grande de condomínio, em Niterói (RJ), e já tinha se dado conta que não precisava de tanto espaço. Até que surgiu a oportunidade de comprar uma casa menor, de 151m², que oferecia ainda outros atrativos, especialmente o fato de ficar dentro de uma vila super charmosa à beira-mar, em Icaraí, no mesmo município.

 

 

Como o imóvel estava bastante degradado e descaracterizado, assim que o negócio foi fechado Regina encomendou à designer Mariza Guimarães e ao arquiteto Adriano Neto, do escritório Ammi Estúdio de Arquitetura e Design, um projeto de reforma total de todos os cômodos, que foi elaborado em parceria com a arquiteta Michele Carvalho. “Esta é uma das poucas vilas de casas que restaram em Icaraí. Um verdadeiro tesouro dentro uma área nobre, privilegiada”, conta Mariza.

 

 

“A cliente queria uma casa com estilo shabby chic (chique gasto, em tradução literal), com atmosfera com romântica, delicada e feminina”, acrescenta o arquiteto Adriano. Para recriar esse clima no décor, os profissionais investiram em peças que a moradora já tinha, dessas que lembram a casa da vovó, como jarras, copos, chaleiras, caixinhas decorativas e até mesmo panelas vintage que, juntas, criam um efeito propositalmente “bagunçadinho” e antigo.

 

casa com decoração shabby chic valoriza peças antigas da família

 

Segundo a dupla, originalmente a casa era bem compartimentada e tinha três quartos. O dormitório que dividia a sala de estar da cozinha, por exemplo, foi eliminado para criar ambientes mais amplos e iluminados. Já o quarto voltado para a fachada frontal foi reduzido e transformado no escritório da moradora. Como o banheiro principal da casa era muito grande, foi dividido em dois para criar um lavabo e o banheiro do quarto principal, que virou uma suíte. Além disso, foi criado um acesso independente pela lateral externa da casa para atender ao pavimento superior, que foi construído do zero para abrigar o estúdio fotográfico da cliente, com sala de fotografia, banheiro, copa, suíte e área externa.

 

décor valoriza a memória afetiva com atmosfera shabby chic

 

Na decoração, a marcenaria é toda nova e os objetos decorativos são do acervo da cliente, muitos herdados de família. Para aproveitar ao máximo os espaços, a maior parte dos móveis são planejados. “O destaque da sala é, sem dúvida, a parede entre os ambientes de estar e jantar, que revestimos com tijolinhos originais da casa, reaproveitados da obra. Decoramos essa parede com peças que contam a história da moradora, como fotografias, objetos e um espelho de família”, explica Mariza.

 

casa de vila tem cozinha com frontão padrão granilite

 

Para aumentar a sensação de amplitude e claridade, o piso de todos os cômodos internos da casa foi revestido com uma cerâmica amadeirada, da Portinari, num tom bem claro. A sala ganhou ainda uma linha de acabamentos clássicos em poliestireno, da Santa Luzia, como alisares de portas, rosetas de janelas e boiseries de paredes. Na cozinha, o backsplash em porcelanato no padrão granilite, da Portobello, ajudou a reforçar o clima retrô do estilo shabby chic. Com a mesma intenção, os acessos da casa (hall de entrada e área de serviço) foram revestidos com ladrilhos hidráulicos, com estampa desenhada pelo próprio escritório.

 

 

 

Na fachada da casa, a cliente pediu uma atmosfera “candy colors”, com janelas azuis, e apresentou algumas referências. A partir daí, o escritório propôs pintura na cor salmão e esquadrias em azul bebê. “Todas as esquadrias são peças de garimpo que foram restauradas e instaladas na casa para imprimir um estilo farm house. O resultado ficou bem romântico, do jeito que a cliente sonhava”, avalia Adriano.

 

 

“Nosso maior desafio neste trabalho foi atualizar o layout, evitando fazer muitas demolições de paredes. Desde o início, o engenheiro responsável pela obra nos avisou que seria muito mais fácil, barato e rápido demolir tudo e construir uma casa nova do zero. Mas isso foi descartado de cara, pois a ideia do projeto sempre foi não só preservar, como também destacar a história do imóvel”, finaliza a designer Mariza.

 

+ PRA VOCÊ: Refúgio a dois

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email

LEIA TAMBÉM

Minimalista e atemporal

A arquiteta Sabina Kalaoun, do Studio LAK, se muda com o marido…

Reforma completa

Apartamento ganhou ares de casa a pós a reforma que integrou ambientes…

A arte de Basiches

Arquiteto e artista plástico José Ricardo Basiches abre exposição Traços e Contextos…