fbpx

Novos ares

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email

Este apartamento dos anos 30 ganhou novos ares – e funcionalidade – após reforma que integrou e redimensionou os seus ambientes

 

Um casal na faixa dos 40 anos, com um casal de filhos pequenos, comprou este apartamento antigo com 210m², no bairro do Flamengo, Rio de Janeiro, em péssimo estado e, em seguida, encomendou um projeto de reforma geral e decoração à arquiteta Cristina Bezamat, do escritório BezamatArquitetura.

 

Fotos: Juliano Colodetti / MCA Estúdio

 

“Além da renovação completa, os clientes pediram uma área social ampla, um quarto para cada membro da família e ainda para melhorar a área da cozinha e de serviços”, conta ela. “Já o conceito do projeto foi criar ambientes contemporâneos e atemporais, e deixar as áreas de convívio mais fluidas, já que os filhos estão em fase de crescimento”, acrescenta.

 

 

Entre as principais alterações na planta do imóvel dos anos 30, o espaço da cozinha, serviço e dependências de funcionário foi redimensionado, permitindo criar uma copa dentro da própria cozinha, além de uma suíte para a filha e um banheiro social para atender o dormitório do filho.

 

 

Na decoração, todos os itens são novos, nada foi aproveitado do endereço antigo. Como os clientes gostam de peças com design, a curadoria feita pela arquiteta foi baseada nas sugestões deles. “Indicamos para a sala, por exemplo, a poltrona Tetê, do Sergio Rodrigues, mas o cliente preferiu a Mole, do mesmo designer”, conta Bezamat. Também se destacam na sala as poltronas Isabel e a mesa de centro Rosá (da designer Maria Cândida Machado), o banquinho Philips, o buffet Chan e a namoradeira Isa (do Jader Almeida), o banco Iaiá (do Gustavo Bittencourt), as mesas de centro e de apoio Zaha (de Aristeu Pires), e as luminárias pendentes Lanterna e de piso Lift (de Fernando Prado).

 

 

No quesito “paleta de cores e materiais”, na área social, a arquiteta adotou uma base neutra, em tons de cinza, para destacar algumas peças de mobiliário, como as poltronas em linho rosa antigo, a namoradeira em tecido azul marinho e o tapete multicolorido do lounge, feito com resíduos de seda (da Casa Julio). “A ideia foi reforçar o conceito atemporal do projeto e acrescentar pontos de cor no décor para deixar os espaços mais vivos e aconchegantes”, diz Bezamat. Por estar totalmente comprometido, o piso original em taco de toda a sala foi substituído por porcelanato no padrão cimento, enquanto a viga que delimita o espaço da antiga varanda da sala recebeu uma pintura especial no padrão cimentício, executada pela I Colori Di Vennezia.

 

 

Na área de jantar, a arquiteta destaca o painel de madeira natural que reveste a parede ao fundo, com aplicação de frisos fininhos de aço que formam desenhos geométricos sutis.

 

 

Já no quarto do casal, o grande destaque é, sem dúvida, o painel de freijó natural atrás da cama, com lâminas aplicadas em diagonal para criar um efeito de espinha-de-peixe. Outros detalhes que merecem atenção neste cômodo são as esquadrias em peroba-do-campo, originais do prédio, que a arquiteta conseguiu restaurar e manter.

 

 

No escritório, que também funciona como quarto de hóspedes, além da esquadria, o piso original em taco de peroba-do-campo também foi recuperado.

 

 

+ PRA VOCÊ: Romantismo vintage

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email

LEIA TAMBÉM

Minimalista e atemporal

A arquiteta Sabina Kalaoun, do Studio LAK, se muda com o marido…

Reforma completa

Apartamento ganhou ares de casa a pós a reforma que integrou ambientes…

A arte de Basiches

Arquiteto e artista plástico José Ricardo Basiches abre exposição Traços e Contextos…