Ladrilhos e cobogós

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email

Símbolos da arquitetura brasileira, elementos se transformaram ao longo do tempo e agora assumem protagonismo no décor

Por Dan Brunini

Com muita história nos lares de norte a sul do nosso país, os ladrilhos hidráulicos evidenciam a força do artesanal, trazendo exclusividade e vida aos projetos. Também criados por mãos brasileiras, os cobogós ou elementos vazados apresentam a solução mais acertada quando se deseja delimitar espaços com charme e sofisticação, sem impedir a passagem de luz e ventilação. Sinônimos de longevidade, esses dois elementos atemporais, que se transformaram ao longo do tempo, seguem em alta no décor e ganham papel de protagonista nesta seleção de ambientes.

Foto: Julia Ribeiro

Efeito tridimensional
O casal de moradores deste apartamento desejava a integração entre sala de jantar e cozinha, mas era necessário garantir que o ambiente de serviço também ficasse parcialmente escondido. Por isso, a reforma substituiu a parede de alvenaria por uma de elementos vazados. “Trata-se de uma ótima solução para esconder ambientes sem impedir a passagem da iluminação, colaborando com a leveza, a circulação de ar e a claridade”, afirma a arquiteta Barbara Dundes, autora da proposta. Marcadas por um desenho interessante, as peças da Manufatti contam com um efeito tridimensional, quebrando a monocromia do branco juntamente com a madeira em piso e móveis.

 

Foto: Adriana Barbosa

Lazer com atmosfera retrô
Com generosos 22 m², a área que reúne área gourmet com churrasqueira e cozinha é a paixão do morador, que curte muito caprichar nas receitas para a família e os amigos. Para que todos pudessem usufruir do lugar juntos, a arquiteta Beatriz Quinelato integrou os espaços usando o mesmo piso. Com a clássica combinação de preto e branco, os ladrilhos hidráulicos (Dalle Piagge) ainda imprimem um ar retrô ao projeto. “Eles conectam tudo, além de delimitarem o espaço em uma área tão aberta como a cobertura”, explica Beatriz. A bancada com parede de cobogós (Manufatti), o pergolado e o toque de cor na cozinha arrematam o visual despojado do apartamento.

 

Foto: Denilson Machado/MCA Estúdio

Colorido conectado com a natureza
Apaixonado pelo azul, o dono desta casa de campo no interior paulista não hesitou em solicitar à arquiteta Solange Cálio para que a cor ajudasse a compor a varanda. As peças executadas pela Ornatos Nossa Senhora da Penha trazem impressos delicados desenhos geométricos. “Além da resistência, esse material oferece outro benefício, como o aconchego térmico, já que a cidade apresenta temperaturas elevadas durante o ano todo”, explica Solange. Em contraponto ao colorido das estampas, Solange apostou na rusticidade da peroba-rosa de demolição, presente em alguns móveis.

 

Foto: Alain Brugier

Demarcação vazada e sutil
Em busca de um elemento para setorizar os ambientes contíguos do apartamento, o arquiteto Diego Revollo deu preferência a uma solução efetiva, mas vazada. “Os cobogós conseguiram demarcar essa linha de forma tênue, dando certa permeabilidade à varanda, que fica ao fundo”, explica o profissional. “Até pensamos num caixilho, mas ele sempre acaba interrompendo a integração”, completa. Com 2,16 x 0,90 m, a divisão é formada por elementos vazados de cerâmica esmaltada branca, sem destoar do restante da área social. O desenho das peças remete ao modernismo dos anos 50, enriquecendo o projeto de histórias.

 

Foto: Evelyn Müller

Parede geométrica de impacto
Por ser uma das paredes principais deste duplex com pé-direito duplo, a ideia da arquiteta Ana Yoshida foi adotar um elemento de destaque, cumprindo também a função de unificar quarto, no piso superior, e sala e cozinha, no primeiro pavimento. “Os moradores são fãs das bandeirinhas de São João, o que nos direcionou à escolha dos ladrilhos hidráulicos com essa estampa, assinada pelo designer Marcelo Rosenbaum”, explica a arquiteta. Comprado na Brasil Imperial, as peças recebem resina e são enceradas para que resistam bem e não manchem. “Também é importante instalar o revestimento no final da obra, evitando que outras etapas o danifique”, alerta Ana.

 

Foto: Raul Fonseca

Memória afetiva e muito estilo
Em busca de um elemento que resgatasse as lembranças de infância e a raiz interiorana da família, os moradores adoraram a ideia da arquiteta Cristiane Schiavoni de trazer os cobogós para compor com sofisticação a área social do apartamento. “É um elemento determinante no projeto, que funciona como painel da TV e ainda criou uma divisória capaz de isolar a porta do lavabo”, explica a profissional. Ao todo, os cobogós da Manufatti compõem uma parede de 6,83 m², formando uma rica composição com o painel e o piso de madeira. “Por conta da sua versatilidade, os cobogós se encaixam em qualquer ambiente”, acredita Cristiane.

 

Foto: Luis Gomes

Materiais e cores em sincronia
Ponto de confraternização da família, a varanda virou o lugar mais descontraído e lúdico do apartamento. Enquanto o piso de porcelanato cinza ajuda a trazer praticidade na hora da limpeza, os demais elementos pontuam cada cantinho de alegria, como a cervejeira amarela e os futons azuis do banco. Acima da faixa de espelho, que reflete o outro lado do ambiente, a arquiteta Patricia Cillo revestiu a parede com ladrilhos hidráulicos desenhados pela paisagista Catê Poli para a Ladrilar. “É fundamental ter um instalador cuidadoso para que o alinhamento fique perfeito e o desenho não seja prejudicado. O interessante é a paginação formada pelo conjunto de ladrilhos”, explica a arquiteta.

 

Foto: Renato Navarro

Clássico com toque provençal
Expert na mistura de diferentes estilos e épocas, o arquiteto Maurício Karam é o autor da reforma dessa área gourmet, com sala de almoço e cozinha integradas. “Propus um ambiente bem leve, claro, mas que ao mesmo tempo tivesse cor e cara de casa de campo”, relata o profissional. “Por isso, apostamos no piso com um tapete formado por ladrilhos hidráulicos, que desenham a ilha central na companhia do mármore, como se fosse uma moldura branca”, completa. Maurício elegeu os revestimentos da Dalle Piagge, buscando unir perfeitamente desenhos e estampas. A proposta do projeto também foi trazer um pouco do estilo rústico, marcado pelo uso da madeira.

 

Foto: Renato Navarro

Amarelo vibrante traz descontração
Deixar passar luminosidade e ventilação é uma das vantagens principais dos elementos vazados, mas na varanda deste apartamento, as irmãs Tássia e Thaisa Pereira, da TT Interiores, encontraram outro uso para os cobogós. Juntas, as peças da Portobello cumprem a função de revestir a parede da bancada gourmet, repetindo o amarelo vibrante que dá cor ao painel da TV. “Nessa área, os revestimentos priorizam a praticidade de limpeza, além de decorar o ambiente”, conta Tássia, que adotou no piso placas de porcelanato com visual cimentício. “A base neutra compõe muito bem com os demais elementos coloridos”, completa.

 

Foto: Henrique Ribeiro

Privacidade e divisão garantidas
Eliminar a parede de alvenaria que separava a sala de almoço e a cozinha foi um dos objetivos da reforma capitaneada pela ProArq Brasil Arquitetura. Mas, ao mesmo tempo, era preciso pensar em uma solução que mantivesse a privacidade entre os ambientes. Problema resolvido pela divisão de cobogós de cerâmica esmaltada branca (Manufatti), que trouxe uma pitada bem brasileira às áreas. “Há muitos acabamentos e cores, porém, nesse projeto escolhemos um modelo mais clean para contrastar com o revestimento eleito para a parede”, justifica Alexandra Pandolfo, sócia de Larissa Bellinatti. “Outro ponto importante é planejar o início e o fim da parede de cobogós, pois as peças não podem ser cortadas. O uso de espaçadores na instalação é essencial para que as juntas saiam com a mesma espessura”, acrescenta.

 

Volumetria em destaque
Proposta por Ludmila Ferreira para o home office da blogueira Chata de Galocha, a divisória de cobogós na cor cimento, da Decortiles, tem múltiplas vantagens. “Ela promove a separação das diferentes áreas sem perder a permeabilidade visual entre elas, mantendo a iluminação natural”, afirma Ludmila. O toque de contemporaneidade vem do aspecto de cimento queimado aplicado sobre a superfície dos elementos vazados, que ainda remetem ao estilo industrial. “Brincando com luzes e sombras por meio de linhas retas e desenhos geométricos, esse produto é pura volumetria”, completa a profissional.

 

Foto: Thales Nogueira

Transparência no coração da casa
Muito associado aos ambientes de serviço, como cozinha e lavanderia, o cobogó é muito bem-vindo também na área social da casa. Neste projeto do arquiteto Lisandro Piloni, os elementos vazados de cerâmica branca e acabamento brilhante abraçam a área de café e bar, interligada à sala de jantar. “Por ser um antigo local de ventilação no centro da casa, existia uma janela do escritório, que ficou encoberta pela parede de cobogós”, explica o arquiteto. Para o assentamento, ele recomenda fazer algumas estruturas de ferro embutidas entre as camadas, garantindo uma melhor sustentação e estabilidade do painel. “Usar rejuntes específicos para o produto também é fundamental”, acrescenta Lisandro.

 

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email

LEIA TAMBÉM

Vai ter DW!

A 9ª edição da DW! acontece entre os dias 8 e 14,…

Por Peles Natuzzi

Até o dia 10 de novembro, a Natuzzi São Paulo apresenta a…

Quartinhos infantis

Quer inspiração para decorar os quartos dos pequenos? Destacamos 5 projetos com…