fbpx

Lar cheio de cor e alegria

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email

Na morada de 93 m² do jornalista Danilo Costa, uma profusão de cores, revestimentos e soluções divertidas personalizam cada ambiente

 

Texto: Danilo Costa | Fotos: Mariana Orsi

Meu desejo sempre foi morar no centro de São Paulo, repleto das minhas memórias de infância. A região me lembra muito da época em que eu ia ao cinema com meu pai e adorava visitar o trabalho dele, perto da Praça da República. Além disso, estar perto da estação do metrô, no caso a Marechal Deodoro, facilita muito a vida, especialmente porque não tenho carro e amo andar a pé. Primeiro morei num apartamento de 58 m², que logo ficou pequeno demais para tantos sonhos: como ser pai (estou na fila da adoção há pouco mais de um ano), ter uma família grande, cachorro e etc. Meu antigo prédio também não tinha uma estrutura bacana, com academia, salão de festas, brinquedoteca e piscina. Por tudo isso, não hesitei em comprar um novo apartamento, num prédio que vi crescer e comecei a pensar nos detalhes do projeto antes mesmo de pegar as chaves.

 

Apê do jornalista Danilo Costa tem profusão de cores
Na parede atrás do sofá, que foi revestido de tecido (Donatelli), há um degradê com quatro tons de rosa, da Sherwin-Williams. A frase “I Wanna Dance With Somebody”, de Whitney Houston, aparece no letreiro neon. Ao fundo, a coleção de Funko ganha destaque na estante de madeira com prateleiras em perfis de alumínio

 

Quem participou de cada detalhe ao meu lado foi a arquiteta Pati Cillo, minha amiga e que me conhece melhor do que ninguém. Diferentemente do estilo de todos os lugares onde já morei, meu novo endereço tinha de ser muito, mais muito colorido e personalizado. A Pati embarcou nesse desafio comigo, fazendo com que a paleta de cores não ficasse pesada demais.

 

varanda com pisos coloridos
A arquiteta Pati Cillo e o jornalista Danilo Costa, com a Schnauzer Shakira, descansam na varanda, que mescla pisos coloridos em cerâmica nos tons de verde claro e rosa (Cerâmica Atlas). A estante de madeira e serralheria (SCA Jardim Europa) exibe os bonecos de infância do morador. Acima da mesa de jantar, da Sierra Gabriel, pendentes da Yamamura com diferentes alturas, fixados numa peça metálica presa ao teto

 

 

Foram meses de projeto. Desenha daqui, cria dali, muda isso, aquilo… além das adaptações de alguns itens para caber no orçamento e também porque a obra aconteceu no meio da pandemia, quando o mercado estava no auge e muitos produtos começaram a faltar. Mas nem por isso, descaracterizamos os ambientes coloridos, começando pela varanda, sem dúvida, o coração da casa. Sem paredes de divisão com a sala, ela virou área de jantar e o lugar onde eu adoro ver o Sol nascendo e indo embora. Tenho até uma poltrona suspensa de corda para que essa vista fique realmente especial. Há ali um aparador de ferro, onde organizo minha coleção de LPs e várias prateleiras de serralheria e madeira, que exibem os bonecos que fazem parte da minha infância – alguns deles com mais de 30 anos de existência. Do piso colorido com cerâmicas verde e rosa, até os pendentes presos numa peça metálica pintada de preto, tudo foi bem customizado na varanda, assim como na sala de estar.

 

cozinha aberta para sala na casa do jornalista
A cozinha do tipo corredor tem armários com portas fecho-toque e um nicho de madeira para dispor os eletrodomésticos. A bancada de granito preto abriga cuba dupla, cooktop e os demais equipamentos. Tudo bem organizado para fazer o espaço compacto render

 

No living, quem chama a atenção é a parede, que recebeu um degradê de quatro tons de rosa e, como arremate, o neon que ao ficar acesso revela a minha música preferida da Whitney Houston. No cantinho perto da entrada, outra paixão que me acompanha há alguns anos: a estante com várias prateleiras deixa à vista minha outra coleção, formada por mais de 300 bonecos Funko, comprados e presenteados em diferentes momentos da minha vida. Na cozinha do tipo corredor, onde a Pati voltou a bancada para a sala, valorizando a integração dos ambientes, temos um lado inteiro de armários e o outro com vários itens de serralheria, além da divisão de cobogós, elemento que eu sonhava há muito tempo em ter na minha casa. Sou apaixonado pelos elementos arquitetônicos brasileiros.

 

vista para a cozinha
Um mesmo tom de cinza, da Sherwin-Williams, cobre paredes, porta e teto. Entre a cozinha e a sala, a estante de serralheria e marcenaria, da SCA Jardim Europa, se une à divisão de cobogós

 

A caminho da ala íntima, fica o quarto do meu sobrinho, que mora comigo e faz parte dessa história de querer a família sempre perto. Prezo muito por isso. O quarto dele tem paredes num tom de pêssego e um mobiliário todo sob medida, com cama, mesa de trabalho e armário num espaço mínimo – muitos pontos para os cálculos minuciosos da arquiteta. Depois, lá ao fundo, está a minha suíte, que virou um lugar bem privativo e completo. Posso passar horas lá dentro, pois consegui reunir área de trabalho, frigobar, até meu cantinho para dormir e ver TV – sem contar no móvel lateral que é a caminha da minha cachorrinha, a schnauzer Shakira, que manda em tudo por aqui (fiz muitas coisas do apartamento pensando nela).

 

quarto do jornalista tem mescla de cores
A suíte máster revela uma paleta de cores bem quente. O verde escuro, que também cobre a porta, é da Sherwin-Williams, enquanto o lambe-lambe foi comprado na Doedustore. A cabeceira foi feita com enchimento e revestimento de tecido (Donatelli), sustentada por duas tiras de couro. Ao lado da cama, a mesinha lateral também é casinha da schnauzer Shakira

 

Criatividade não falta no quarto, começando pela cama, que é formada por um grande tablado de madeira, encostado numa cabeceira feita de tecido e enchimento, sustentada por tiras de couro. No fundo, mais uma paixão, a parede recebeu lambe-lambe, aquele papel que a gente vê na rua, mas com uma interpretação bem decorativa. As cores do meu quarto são lindas, tenho verde escuro, tijolo e um tom no mobiliário que deixa tudo bem quente, acolhedor.

 

home office
Parte da varanda foi incorporada ao quarto do jornalista, servindo agora como home office

 

Assim como nos demais ambientes, tenho luminárias que desenham o teto; são esculturais mesmo. E, no meu cantinho do trabalho, perto da janela (onde vejo o pôr do Sol), tenho a mesa com tampo de madeira de demolição e pés de ferro, bem coisa de garimpo. Ao lado dela, o frigobar com a impressora. Em cada cantinho, um quadro, uma fotografia, um objeto que traz mais cores e ajuda a contar a história da minha vida. Sem dúvida, passei a amar ainda mais ficar em casa!

 

banheiro em tom de rosa e verde
Os ladrilhos hidráulicos (Adamá Design), outra paixão do morador, são destaque no banheiro da suíte, que tem vaso sanitário e cuba de apoio rosa (Incepa)

 

+ PRA VOCÊ: Décor em tons de rosa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email

LEIA TAMBÉM

Minimalista e atemporal

A arquiteta Sabina Kalaoun, do Studio LAK, se muda com o marido…

Reforma completa

Apartamento ganhou ares de casa a pós a reforma que integrou ambientes…

A arte de Basiches

Arquiteto e artista plástico José Ricardo Basiches abre exposição Traços e Contextos…